Kindle Unlimited

Kindle Unlimited é uma Netflix de livros. Você paga uma mensalidade (R$ 19,90 por mês, no momento) e tem acesso a centenas de milhares de títulos gratuitos disponíveis entre os e-books da Amazon. É possível pegar 10 livros de cada vez, e ficar com eles por tempo indeterminado. Mas, se quiser pegar o 11º, precisará devolver um antes, como numa biblioteca comum.

Conheci o Kindle Unlimited já na época do lançamento. Como eu não tinha Kindle, não me interessei. Poderia usar no celular ou no notebook, eu sei, mas acho mais cômodo ler no e-reader. Como o Kobo não é compatível, deixei pra lá. Até que ganhei o Kindle que era da minha mãe. Acho que fui procurar na Amazon por um livro que foi recomendado e vi que fazia parte do programa. Resolvi olhar com mais atenção e achei que valia a pena me inscrever pro mês gratuito de teste.

Li o primeiro. Vou ler mais um, pensei, pra aproveitar o mês. E mais um. E outro. E, poxa, deixa aproveitar bem esse mês… Saí procurando indicações de livros em blogs e perfis de pessoas que sei que tem gostos parecidos pra livros, como a Simone Miletic e a Tati Lopatiuk e, quando vi, ainda faltando 4 dias pro fim do período de teste, já tinha lido 7 livros (e ainda teve outro que já tinha comprado antes)! Sério, é mais que li no ano passado inteiro – shame, shame, shame! Só não fui atrás de mais um ainda porque ou eu escrevo sobre esses livros de uma vez, ou vou esquecer absolutamente tudo – e o objetivo atual do blog é justamente me ajudar a guardar um pouco mais do que andei lendo…

Valeu a pena testar o Kindle Unlimited? Absolutamente sim! Vou continuar assinando? Não agora… Tenho tantos livros já comprados esperando pra ser lidos há meses, anos até, que primeiro quero dar conta desses. Alguns deles são livros que eu quis muito, que ansiei por comprar, mas depois que já estava com eles, ia deixando pra depois, pra quando tivesse mais tempo, pra quando… e mil desculpas apareciam. Então, vou a eles. Quando terminar – se é que um dia os livros pendentes vão terminar, porque mal leio um e já estou atrás de outros três! – volto sim a assinar!

Tem pontos negativos? Tem sim. Lançamentos não estão disponíveis, e isso é ok (Netflix também não costuma disponibilizar lançamentos, a não ser as produções próprias). Mas senti falta de autores que gosto (nenhum da Jojo Moyes, por exemplo) e de mais variedade de alguns autores (como Lori Nelson Spielman, que tinha só um dos seus dois livros em português). Por outro lado, vários da Marian Keyes estavam lá (pena que já tinha lido todos) e encontrei pérolas como Quarto (que deu origem ao filme Quarto de Jack, que agora entrou pra minha lista de desejos pra assistir). Além disso, achei vários de outros autores que não conhecia e estavam nas recomendações que olhei.

Então recomendo? Siiim!!

Publicado por Renata Guedes Pinheiro

Blogueira irregular, aprendiz de TI, fisioterapeuta em esquecimento. Memória de Dory e coragem de Buzz Lightyear. Deixo músicas, livros e filmes falarem por mim (e animações, caso não tenham percebido).

Participe da discussão

2 comentários

  1. Rê, eu gosto muito de usar o Kindle. Tem sido minha preferência ultimamente, pela facilidade de carregar livros sem levar peso, hehe. Poder ler em qualquer lugar (seguro, claro) não tem preço. Vale muito a pena. Eu uso e recomendo.
    beijo, menina

    1. Não tenho muitas oportunidades de ler fora de casa – no trabalho não dá tempo, nos deslocamentos geralmente estou a pé ou dirigindo. Ainda assim, acho que vale mesmo muito a pena ter o Kindle (ou o Kobo)! De vez em quando, me pego em uma sala de espera e me arrependo de não ter levado na bolsa, mas aí vem outra vantagem: os apps do celular estão sempre sincronizados e consigo continuar do ponto onde estava! Não tem nada melhor pra aproveitar cada momento disponível pra ler! <3 Beijo!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *