[Filme] A Escalada (L’ascension)

Na última vez que lembro de ter feito um post sobre o primeiro filme assistido no ano, o escolhido tinha sido A Origem dos Guardiões – era um filme sobre o qual não tinha grandes expectativas, mas foi escolhido por ser uma animação, uma das minhas categorias preferidas. Nesse ano, depois de muitos, vários, incontáveis minutos tentando escolher um filme, decidimos por um que estava em destaque na Netflix e que tinha uma sinopse minimamente interessante.

A Escalada é uma comédia original da Netflix com parceiros franceses baseada em fatos reais. Hum, pensou em produção francesa e torceu o nariz? É, eu também tive um pouquinho de receio porque, em geral, acho filmes franceses lentos. Mas era comédia e resolvemos arriscar – fora que não aguentávamos mais tentar decidir!

Samy quer conquistar sua amiga Nadia, porém ela não se sente segura em relação à vida sem estabilidade dele. Tentando convencê-la, Samy solta a ideia de que, por ela, subiria o monte Everest, e assim tem início a aventura. Samy não tem nenhuma experiência em escaladas, não conhece os equipamentos e procedimentos de segurança, nada! Mas consegue financiamento para a viagem e vai, mentindo que já fez outras escaladas significativas.

Não achei tão engraçado assim – a cada bobagem que Samy fazia, eu pensava no quanto ele poderia colocar os colegas de escalada em risco, mas foi leve e divertido o suficiente pra não dormir antes que acabasse.

Quer ver os outros filmes assistidos neste ano? Aqui estão!

Spoiler! Spoiler! Spoiler!

Melhor parte: Johnny, o sherpa que acompanha Samy na escalada.

Pior parte: Pensar que um filme sobre um cara totalmente inexperiente que consegue escalar o Everest pode dar ideia pra um povo sem noção por aí, mas então lembrar que já tem Youtuber dando ideia até pior.

O que foi mais engraçado: Não lembro de nenhuma cena marcante…

Quando não consegui não chorar: Zero lágrimas – é uma comédia, afinal.

Se gostei? Sim, foi ok.

Publicado por Renata Guedes Pinheiro

Blogueira irregular, aprendiz de TI, fisioterapeuta em esquecimento. Memória de Dory e coragem de Buzz Lightyear. Deixo músicas, livros e filmes falarem por mim (e animações, caso não tenham percebido).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *